Posts tagged ‘Veganismo’

Etica e o Veganismo

Etica e o veganismo

No site Sociedadevegana.org, encontrei um texto escrito por Sonia T. Felipe que é membro fundador da Sociedade, além de ser escritora e professora. O texto fala sobre a ética em conjunto com o veganismo, o reflexo das atitudes dessa filosofia, na pratica porque o veganismo faz a diferença e o porquê o homem tem dificuldade em reconstruir seus princípios éticos. Nos trechos abaixo, retirado do site Sociedade Vegana, estão expostos algum dos principais argumentos, e fundamentos desse segmento.

“Ética (do grego ethos, que significa modo de ser, caráter, comportamento) é o ramo da filosofia que busca estudar e indicar o melhor modo de viver no cotidiano e na sociedade. Diferencia-se da moral, pois enquanto esta se fundamenta na obediência a normas, tabus, costumes ou mandamentos culturais, hierárquicos ou religiosos recebidos, a ética, ao contrário, busca fundamentar o bom modo de viver pelo pensamento humano.”

“A decisão de tornar-se vegana ou vegano implica disponibilizar-se para enfrentar a própria formatação moral e os embates inevitáveis no âmbito da família, da escola, da atividade profissional e das demais práticas sociais, incluindo nelas o hábito de sair com amigos para comer fora, comprar presentes, organizar festas de final de ano, de aniversário, divertir-se e até mesmo escolher uma profissão.”

“Para qualquer ser vivo, a maior violência que se pode cometer é tirar-lhe a liberdade de mover-se para prover-se seguindo o modo que melhor se adequa ao alcance do bem que lhe é próprio. Por isso, a defesa dos direitos animais passa inevitavelmente pela libertação deles de todas as formas de privação da liberdade à qual estão condenados no sistema que os torna objetos de propriedade humana. Não são os veganos quem proíbem outros de usarem animais como se fossem coisas descartáveis. Quem o faz é o princípio ético que todo humano admite como válido quando seu interesse em não ser sequestrado, usado, explorado e assassinado está em jogo. Por submeter-se ao princípio ético, o movimento vegano admite que tal princípio prescreve certas ações, e proscreve outras.”

“A escravização de humanos foi abominada há quase dois séculos. Para fazer frente ao sistema das práticas institucionais que a fomentava, foi necessário um movimento político abolicionista. A violência da escravização de animais para fins humanos requer um movimento semelhante àquele, de envergadura incalculavelmente maior, pelo número de implicados nela. Semelhante, porque, nesse caso, as vítimas da apropriação não podem libertar-se, não podem juntar forças ou organizar-se para enfrentar a instituição da escravidão. Incalculavelmente maior, pois, no caso da abolição do uso de animais, estamos diante de algo espantosamente disseminado em todas as mentes humanas. O uso de animais não-humanos para atender interesses, necessidades e negócios humanos perpassa todos os âmbitos da produção e consumo de mercadorias e serviços.”

“Quando entendemos racionalmente o por quê de algo ser certo ou errado, queremos que os demais seres racionais imediatamente também o entendam. Mas, a construção da natureza ética nos humanos não se dá num passe de mágica. Mesmo quando temos clareza ética sobre uma série de questões morais, ainda assim relutamos em seguir aquilo que nossa razão nos dá por certo ou verdadeiro. A teia na qual nos enredamos, ao forjarmos o modo de vida antropocêntrico e hostil aos interesses de outros animais, coloca-os na condição de objetos de propriedade. Abrir mão da condição de proprietário e senhor requer força, coragem e desprendimento. Esse é o modo da libertação humana.”

Fonte:

http://pt.wikipedia.org/wiki/%C3%89tica

O texto na integra você encontra no link abaixo:

http://www.sociedadevegana.org/index.php?option=com_content&view=article&id=16:a-desanimalizacao-do-consumo-humano-desafios-da-etica-vegana&catid=10:geral

A escolha não é facil.

A escolha não é facil.

Quando escolhi o veganismo, já imaginava que teria alguém tipo de conseqüência, e alguns meses descobri qual é: a deficiência dos supermercados em ter nas suas prateleiras alimentos veganos.

Aqui em Piracicaba o único supermercado que tem hambúrguer de soja, danone sem lactose, e que tem algumas marcas como Yoki, é o Pão de Açúcar. A pouco tempo descobri uma outra marca chamada SuperBom, mas não é vendida aqui, a cidade mais próxima que posso encontra – lá esta a 32Km de distancia. Com essas dificuldades na alimentação as pessoas que também se interessam por uma alimentação saudável, acabam abrindo mão disso. Até agora falei dos alimentos, quanto a vestuário, calçados e acessórios, só encontro na internet, não existem lojas que vendam roupas ou sapatos veganos.

Assim como os deficientes físicos, também encontrei limitações, obstáculos e pago um preço maior pela escolha. Buscar as alternativas é saber lidar com o problema, é ampliar o espaço que você tem e permanecer firme na sua escolha, em momento nenhum pensei em voltar atrás, mas confesso que o veganismo tem mexido muito comigo ultimamente, tem me colocado frente a frente com meus limites,  freqüentemente estou pensando no que me fez chegar até aqui. Para muitos ser vegano é estar no role, e curtir pessoas que fazem um som pesado e são veganos, para mim ser vegano é respeitar o direito dos outros, é ter consciência e principalmente, é ser alguém que vive livre da crueldade com os animais, não sou de role nenhum, meu namorado nem vegan é, mas ele respeita a minha escolha, entende meus limites. Essa escolha é muito pessoal e não cabe a minha pessoa “evangelizar” o veganismo, mas cabe, passar meu conhecimento a quem tiver interesse, a quem quiser fazer algo melhor pelo próximo, os animais. Eu sei o que escolhi pra mim, eu dou o meu melhor para que cada dia eu possa continuar a manter meus compromissos e minha ética em relação ao que escolhi para viver. Nenhum preço é alto o suficiente quando se fala em vidas!

Veganismo não é moda!

Veganismo não é moda, é atitude!

Quem já ouviu aquela frase: “Não me fale de paz, a violência começa no seu prato!”. Como alguém pode querer falar de paz, quando a sua própria refeição é a violência?

Escolher o veganismo ou o vegetarianismo não é simplesmente uma dieta, ou parar de comer carne, existem questões sócio comportamentais por traz disso, existe o fato de você não aceitar mais, consumir um produto que contenha sofrimento, dor, abandono. Você começa a perceber até aonde vão os seus direitos e aonde começam os do próximo, os animais. Sim, os animais são nossos próximos, nossos semelhantes e com direito a vida assim como nós. Há dez anos eu escolhi mudar meus hábitos e comecei então, indiretamente, a salvar vidas, não tinha a consciência do papel social que hoje em dia estou descobrindo.

A indústria da carne é a que mais polui e desmata o meio ambiente, ou seja, por trás daquele bife, existe não só o sofrimento, mas também o peso de um mundo emergente. Existe então alguma coisa errada.

Escolher uma nova alimentação, novos hábitos é sair de uma tradição, que é comer carne, e começar de novo, do zero, só que dessa vez da forma correta.

Quando você fala que é vegano, logo já ouve aquela pergunta: – mas então o que você come?alface?, As pessoas tem a mania de achar que nós só comemos alface, pois é vos digo uma coisa: vocês estão completamente enganados, e ainda posso provar que a variedade de alimentos que eu consumo é bem maior e mais saudável que os alimentos que vocês consomem. Os ovos e o leite são perfeitamente substituídos em receitas de bolos, tortas, pães, existe a margarina 100%vegetal, produtos sem lactose, chocolates, ou seja, você come de TUDO e com saúde.

Não escolha ser vegano, como uma simples dieta, escolha como uma questão de consciência.

É hora de começar a pensar em novas possibilidades, a revolução é nossa e começa dentro da gente. Veganismo não é moda, é atitude!

Se podemos ser melhor, porque não o fazemos?

Bebidas Alcoolicas Veganas e Vegetarianas

Quem disse que os Veganos e Vegetarianos não podem beber vinhos ou até mesmo outras bebidas alcoólicas?

Geralmente no processo de fabricação de vinhos é comum o uso de gelatina, albumina ou caseína, e são retirados após o processo de clarificação do vinho, não sobrando vestígios desses componentes no produto final. Por isso resolvi pesquisar quais os produtores e adegas não fazem uso de ingredientes de origem animal em nenhum processo de fabricação do vinho e de outra bebibas alcoólicas.

Vinhos:

A seguintes marcas não fazem testes em animais e nem uso de nada que seja de origem animal :

Vinicola Perini

Vinicola Boutique Lidio Carraro

Adega Chesini

Vinhos Lerentis

Vinicola Miolo

Marco Luigi Vinhos Finos

Citei as principais e mais conhecidas, mas se você quer saber de alguma empresa entre em contato com o sac.

Quanto a outras bebidas, a cerveja, por exemplo, são clarificadas com uma espécie de cola de peixe. Essa cola se obtém a partir das bexigas de alguns peixes de água doce. No entanto algumas cervejas já são freqüentemente filtradas sem o uso de qualquer substancia animal.

Principais Cervejas Veganas:

Heineken
Budweiser

Imperial
Golden Beer

Agora podemos consumir com consciencia, ja que temos alternativas corretas.

E lembre-se se beber não dirija!

Qualquer duvida deixe seu comentario ou entre em contato pelo e-mail: curiosidadesveg@bol.com.br

Se você quer saber de alguma marca que não citei no texto, mande um e-mail no endereço acima  com o nome da marca que eu entrarei em contato com o sac!

Bom feriado a todos! ;)

Fonte:
http://www.centrovegetariano.org/Article-246-Bebidas%2Balco%25F3licas%2Bveganas.html

http://coisinhasveganas.blogspot.com/search?updated-max=2008-09-16T15%3A28%3A00-07%3A00&max-results=10

http://www.guiavegano.com.br/vegan/forum/vegetarianismo-x-nutricao/vinho-e-vegano

You Crazy Vegan!

YOU CRAZY VEGAN!

Entre essas minhas andanças em busca de novas informações, encontrei pelo twitter um site / blog bem legal, cujo titulo do texto que mais me chamou a atenção é: YOU CRAZY VEGANS, no português, em tradução livre quer dizer: VOCÊS VEGANS LOUCOS, pelo titulo do texto já da para se ter uma idéia do que vamos falar a seguir:

Psicologicamente, uma das maneiras que as pessoas tem de lidar com informações que geram conflitos internos (ou dissonância cognitiva) é descarta-la como se fossem anormais, ou até mesmo perigosa. Isso ajuda a explicar o porquê muitos vegans tem a experiência de serem tratados como marginais, diferentes, pela família, amigos e principalmente pela sociedade.

Qualquer tentativa de questionar esta ideologia e viver uma vida sem escravizar e matar os animais para nosso próprio benefício é visto como anormal, às vezes até mesmo “louco”. As pessoas que não são vegetarianas, muitas vezes até mesmo na tentativa de proteger suas crenças e tradições e tratar de patologizar ou frustar aqueles que não seguem os padrões, como acontece com os psicólogos que assumem que a recusa de uma jovem para comer carne é um sintoma de transtorno alimentes, ou médicos que alertam para os perigos da dieta livre de carne, apesar das evidencias idicarem o contrario, segundo Joy.

Na  tentativa de ser vegan, meu pai estava convencido de que era apenas uma crise psicológica. Ele me disse: “Geralmente, quando as pessoas ficam preocupadas com esse tipo de coisa, é um sinal de que algo esta errado em suas vidas”.  É uma linha comum de autodefesa psicológica, no entanto: “não pode haver nada de errado com a maneira como faço as coisas … então deve haver algo errado com você”

Mas a verdade é que abraçar o veganismo é um sinal de que temos aprendido a pensar além dos limites egoístas dos nossos próprios desejos e realmente dar importancia para os outros animais, pessoas e a terra. É um sinal de que já não estamos mais dispostos a continuar pagando pessoas para torturar, escravizar e matar outros animais simplesmente para nossa satisfação e prazer.

Eu sei. Bonito hein, maluco?

O texto é interessante pois, mostra de forma descontraída, como os vegans são visto pela sociedade e até pela própria famila, que julgam ser anormal esse habito de NÃO comer carne.

O texto na integra e em inglês você pode encontrar no blog: http://www.thisveganlife.org/

Quebrando a Tradição

Quebrando a Tradição

Nosso histórico com a carne começa lá na pré história, há milhares de anos, quando os primórdios da nossa espécie começaram a caçar para sobreviverem.

Com o passar dos tempos a técnica primitiva de caça, foi ganhando “modernidade”, começou então a criação de gado para corte, uma tentativa de domesticação do gado, para que ele seja criado com mais “qualidade” e depois seja abatido.

A carne assada era uma refeição mais pratica de ser preparada quando se estava longe de casa, pois bastava ter uma faca bem  amolada, sal grosso, um pedaço de madeira e fogo.

Essa é a nossa tradição, comer carne, uma espécie de culto a carne a meu ver, pois muitas pessoas valorizam demais os prazeres da carne.

Quando você resolve se abster desse consumo, você deixa de lado uma “tradição” que acompanha a evolução histórica da nossa espécie, portanto você se torne VEGETARIANO,  ou VEGANO.

Agora você me pergunta, aonde estou querendo chegar com toda esta história de churrasco, deixar de comer carne e etc…?

Quero quebrar a tradição do churrasco com carnes gordas, e com crueldade, apresentando-lhes o churrasco LIVRE DE CRUELDADE.

É estranho falar de churrasco e pensar em vegetais.  E as opções são variadas, para todos os gostos, não pense que o churrasco vegetariano / vegano é só alface.

No site vida vegetariana, tem varias dicas, opções e como preparar, e além do mais é muito mais pratico um churrasco com vegetais, além de você não matar ninguém para te servir de comida, é muito mais pratico que o churrasco comum.

Vida Vegetariana:

http://www.vidavegetariana.com/site/especiais.php?page=especiais/churrasco/index

O Outro Lado da Beleza

Você ja parou para pensar que os cosmeticos que você usa podem estar prejudicando outras vidas? E quanto aos remedios, você sabia que eles também são testados em animais?

A industria da beleza esconde muita coisa por tras de seus cremes rejuvenecedores,  esconde um lado terrivel, o mesmo se repete com a industria farmaceutica, antes dos remedios chegarem até você, consumidor, eles são testados em animais. Geralmente são usados coelhos, ratos, macacos, cães para os testes.

No site do PEA encontrei um texto bem completo e muito interessante pois, aborda de forma clara e direta o que realmente é o teste feito em animais, inclusive traz os tipos mais comuns de testes, os efeitos do mesmo.

Esta materia tráz também os avanços medico – cientificos sem a experimentação em animais. Quais as alternativas para que essa pratica monstruosa tenha fim? Tudo isso muito mais no site do PEA:

http://www.pea.org.br/crueldade/testes/

Twitter do PEA:

http://twitter.com/peabrasil

Twitter do blog:

@curiosidadesveg

Tudo sobre #veganismo e #vegetarianismo em 140 caracteres!

Bom dia!